11/04/2017

Sambinha bom é esse que traz de volta...

"Eu, eu quero ficar com você
Eu, eu quero grudar em você
Eu, eu quero me bordar em você"

27/06/2016

Esses dias

Woodland Cottage: Untitled by J. Ōta on Flickr. Barefoot on the ground:

Foto: Pinterest

Pés no chão, vento no rosto, pensamento longe, talvez uma reflexão sobre a vida, talvez apenas assistindo a vida passar correndo diante dos seus olhos. Um coração cheio, poucas palavras, faz tempo que elas sumiram. Uma vontade de ser abraçada pelo mundo, pouca vontade de pedir por isso. Muita vontade de se doar, de ouvir, de ser menos, de ter mais. 
Tempos difíceis esses que tiramos pra amadurecer.

30/11/2015

A melhor definição do que vivo dizendo:

“Pare de viver sua vida como se estivesse num filme.
 Pare de idealizar seu amor em vez de encontrá-lo.
 O amor não é sempre como um raio, as vezes é só uma escolha.
 Talvez o amor verdadeiro seja uma decisão.
 Decisão de correr risco com alguém.
 Dar-se, sem se preocupar se vão dar algo em troca ou magoar você ou se é a pessoa certa.
 Talvez o amor não seja algo que aconteça, talvez seja apenas uma escolha.”

- Amor e outros Desastres, 2006

03/07/2015

Tem dias...

 ...que viver dá um medo.

24/06/2015

Eu não sei você...

mas eu sou aquele tipo de pessoa que comete um erro e fica enlouquecida com ele, por anos até, não precisa ser nada grave, e na maioria das vezes não é, só precisa ser constrangedor (pra mim).

23/06/2015

Ser importante

Eu sempre brinquei de "ser importante", desde pequena, tudo importava demais. Era legal assim, urgências, prazos, importar, ser "preciso". Agora que não é mais brincadeira de criança o "importante" me adoece, é excesso, sacrificante, a vida não tem leveza, e até escrever e pensar isso faz com que seja mais importante/grave/urgente do que realmente é.
Ansiedade agora me define da cabeça aos pés, e eu escrevo pra ver se isso ajuda a aliviar, quando na verdade não sei se isso piora.
É loucura descobrir quanto a minha mente realmente afeta o meu corpo. O médico me receitou "me achar"/"descobrir" ou alguma coisa assim, fora a bateria de exames, terapia, e alguns calmantes, então vamos tentar. Eu já fiz isso algumas vezes, ou tentei, só que dessa vez eu sinto que estou bem mas o meu corpo sente diferente de mim.

18/07/2014

Cortando os defeitos, daqui a 1 ano corto mais!

Como mais requeijão que torrada
Sempre quero mais carinho que dou
Fico sem lavar a cabeça uma semana (meu cabelo é seco e geralmente minha escova fica ótima quando o cabelo está sujo)
Quando começo a falar não paro
Falo baixo demais e quando me irrito grito
Quando não tenho que sair de casa fico de pijama o dia todo
Sempre acho silêncio constrangedor, então falo alguma coisa, que sempre acaba sendo mais constrangedora
Sou ciumenta (até com amigos)
Só tenho grande interesse pela leitura de romances (mesmo os adolescentes)
Entendo quase nada de política
Sou tímida
Fritura me da enjoo, mais eu como
Pastel de queijo me da enjoo, mais eu como
Inconscientemente sempre acabo tentando ser alguma coisa que sei que vai agradar o ouvinte
Faz tempo que me perdi de mim mesma (talvez pelo motivo anterior)
Sou vaidosa em excesso (não fútil)
Só não sou mais vaidosa porque sou preguiçosa, e esse é um outro defeito
Sou curiosa
Posso já ter visto o filme, mas sempre que vejo desejo com a mesma vontade que o final mude (por exemplo: quando alguém morre)
Sim, assisto filmes "desejando, esperando, torcendo"
Escovo os dentes antes do café da manhã, depois só lavo a boca
Quando fico em casa sozinha nem sempre escovo assim que acordo
Tenho medo de rejeição
Na verdade ultimamente MEDO tem sido a palavra mais usada
Tenho tido medo de TUDO
Mudo de opinião com frequência, e as vezes muito rápido
Não tenho facilidade em falar outras línguas
Terminei meu francês e quase já esqueci tudo
Tenho medo de praticar com quem sabe e errar(sempre tive)
Isso tudo porque tenho preguiça de estudar a fundo
Sou consumista (compulsiva - não diagnosticada)
As vezes acho que não tenho talento pra mais nada (nem pra moda, que sempre achei que tivesse)
Sou dramática

Tenho muitas dúvidas
Não gosto de dividir coisas gostosas que eu estou comendo
Exijo demais
Adoro rotinas (quando são boas)
Não aceito criticas muito bem
Sempre quis que minha vida fosse como um dos romances que assisto/leio, e as vezes ainda quero (na maior parte)
Tenho crises horrorosas de ansiedade (de tremer e sentir frio)
Odeio responder a perguntas
Adoro perguntar
Nem sempre espero algum resultado do que faço, as vezes só faço
Queria ter feito muito mais da vida, e não vou fazer
Já quis morrer
Tenho rezado muito pouco
Nunca vou a lugar nenhum sozinha
Tenho medo do futuro
Não reajo bem sob pressão
Não ajo sem pressão
Se deixassem todas as minhas refeições seriam lanches
Não faço comida por preguiça
Já comi três cachorros quentes seguidos
Acho engraçado pessoas que acham muitas coisas boas sobre elas mesmas (mas as vezes eu também acho)
Como doces enlouquecidamente quando: estou nervosa, ansiosa, com sono e não posso dormir
Tenho medo de não poder ter filhos
Tenho saudades, de tudo, o tempo todo
As vezes fico viajando enquanto falam comigo
Me perco facilmente em outros pensamentos (se uma palavra na conversa me fizer lembrar de outra, e que me lembra de outra situação...ihhh...me perdi)
Sou hipocondríaca (não diagnosticada - inclusive já achei ter déficit de atenção,TOC, mas a minha terapeuta diz que é só muita coisa na cabeça, e deve ser)
Sempre espero mais das pessoas, mesmo quando parte de mim sabe que não vai ter
Já quis viver só de amor
Já duvidei se sabia o que era amar, e acho que nunca vou ter certeza se o que sinto é o máximo que se pode sentir
Sempre quero o MÁXIMO de tudo
Faço listas de quase tudo
Nem sempre eu quero ser uma pessoa boazinha, mas sinto falta de quão boa eu já fui
Tenho preguiça de ir a qualquer médico
Tenho medo de morrer
Amo bebês mas não tenho muita paciência com crianças quando começam a correr, gritar e/ou querem brincar de qualquer coisa que eu tenho que correr e gritar junto (mais me esforço)
Faz muito tempo que não tenho paciência pra pesquisar sobre nada, nem sobre meu trabalho
As vezes eu gosto das coisas porque gosto, faço porque faço, quero porque quero
Nem sempre tenho um motivo, e nem sempre quero falar o motivo
Não lido bem com obrigações
Sempre quero que sintam minha falta
Sempre acho que quase ninguém sente
Já escrevi "derrepente" (mesmo sendo uma das melhores alunas de português e redação)
Meus professores de matemática me ajudaram a passar no ensino médio
Sempre tento justificar meus erros
Só perdôo facilmente quem eu gosto
Canto no chuveiro
Danço sozinha, e sem música
Tem dias que não sinto fome
Tem horas que como só por comer
Tenho medo de dirigir
Nunca vou ao banco
Não sei lidar bem com minhas finanças
Tenho uma conta aberta mas uso o cartão da minha mãe
Ter que perguntar qualquer coisa me assusta
Fico com a boca seca e enjoo quando fico nervosa/ansiosa
Odeio depender dos outros
Odeio telefones (não ligo nem pra farmácia)
Tenho medo/vergonha de errar
Quando erro fico repassando o erro e a vergonha de ter errado dias, talvez anos...
Odeio dar parabéns por telefone e pessoalmente, me sinto meio idiota
Não me acho bonita mas gosto de ser elogiada
Tenho medo de mudar
Prefiro pizza de 4 queijos da Sadia, a de qualquer pizzaria
As vezes imagino a trilha sonora de alguma situação
A música me ajuda a escrever
O caos sempre me inspira mais do que a calmaria
Ultimamente quase nada me inspira
Sou completamente desorientada e estabanada, eu bato em tudo que está no meu caminho.
Escuto a mesma música até enjoar, e demora.
Sou carente, e só estou aqui listando todos os defeitos e/ou curiosidades bizarras que posso lembrar, para que toda e qualquer pessoa que queira me amar, saiba tudo que vem junto...

(e pra eu mesma não esquecer de todos eles, de tudo que faz parte do que eu sou).

*Porque ninguém merece se acostumar com tudo isso, a vida tem que ser mais leve! 

14/06/2013

E não acredito que seja tudo

Como mais requeijão que torrada
Sempre quero mais carinho que dou
Fico sem lavar a cabeça uma semana (meu cabelo é seco e geralmente minha escova fica ótima quando o cabelo está sujo)
Quando começo a falar não paro
Falo baixo demais e quando me irrito grito
Quando não tenho que sair de casa fico de pijama o dia todo
Sempre acho silêncio constrangedor, então falo alguma coisa, que sempre acaba sendo mais constrangedora
Sou ciumenta (até com amigos)
Só tenho grande interesse pela leitura de romances (mesmo os adolescentes)
Entendo quase nada de política
Sou tímida
Fritura me da enjoo, mais eu como
Pastel de queijo me da enjoo, mais eu como
Inconscientemente sempre acabo tentando ser alguma coisa que sei que vai agradar o ouvinte
Faz tempo que me perdi de mim mesma (talvez pelo motivo anterior)
Sou vaidosa em excesso (não fútil)
Só não sou mais vaidosa porque sou preguiçosa, e esse é um outro defeito
Sou curiosa
Posso já ter visto o filme, mas sempre que vejo desejo com a mesma vontade que o final mude (por exemplo: quando alguém morre)
Sim, assisto filmes "desejando, esperando, torcendo"
Escovo os dentes antes do café da manhã, depois só lavo a boca
Quando fico em casa sozinha nem sempre escovo assim que acordo
Tenho medo de rejeição
Na verdade ultimamente MEDO tem sido a palavra mais usada
Tenho tido medo de TUDO
Mudo de opinião com frequência, e as vezes muito rápido
Não tenho facilidade em falar outras línguas
Terminei meu francês e quase já esqueci tudo
Tenho medo de praticar com quem sabe e errar(sempre tive)
Isso tudo porque tenho preguiça de estudar a fundo
Sou consumista (compulsiva - não diagnosticada)
As vezes acho que não tenho talento pra mais nada (nem pra moda, que sempre achei que tivesse)
Sou dramática
Tenho muitas dúvidas
Não gosto de dividir coisas gostosas que eu estou comendo
Exijo demais
Adoro rotinas (quando são boas)
Não aceito criticas muito bem
Sempre quis que minha vida fosse como um dos romances que assisto/leio, e as vezes ainda quero (na maior parte)
Tenho crises horrorosas de ansiedade (de tremer e sentir frio)
Odeio responder a perguntas
Adoro perguntar
Nem sempre espero algum resultado do que faço, as vezes só faço
Queria ter feito muito mais da vida, e não vou fazer
Já quis morrer
Tenho rezado muito pouco
Nunca vou a lugar nenhum sozinha
Tenho medo do futuro
Não reajo bem sob pressão
Não ajo sem pressão
Se deixassem todas as minhas refeições seriam lanches
Não faço comida por preguiça
Já comi três cachorros quentes seguidos
Acho engraçado pessoas que acham muitas coisas boas sobre elas mesmas (mas as vezes eu também acho)
Como doces enlouquecidamente quando: estou nervosa, ansiosa, com sono e não posso dormir
Tenho medo de não poder ter filhos
Tenho saudades, de tudo, o tempo todo
As vezes fico viajando enquanto falam comigo
Me perco facilmente em outros pensamentos (se uma palavra na conversa me fizer lembrar de outra, e que me lembra de outra situação...ihhh...me perdi)
Sou hipocondríaca (não diagnosticada - inclusive já achei ter déficit de atenção,TOC, mas a minha terapeuta diz que é só muita coisa na cabeça, e deve ser)
Sempre espero mais das pessoas, mesmo quando parte de mim sabe que não vai ter
Já quis viver só de amor
Já duvidei se sabia o que era amar, e acho que nunca vou ter certeza se o que sinto é o máximo que se pode sentir
Sempre quero o MÁXIMO de tudo
Faço listas de quase tudo
Nem sempre eu quero ser uma pessoa boazinha, mas sinto falta de quão boa eu já fui
Tenho preguiça de ir a qualquer médico
Tenho medo de morrer
Amo bebês mas não tenho muita paciência com crianças quando começam a correr, gritar e/ou querem brincar de qualquer coisa que eu tenho que correr e gritar junto (mais me esforço)
Faz muito tempo que não tenho paciência pra pesquisar sobre nada, nem sobre meu trabalho
As vezes eu gosto das coisas porque gosto, faço porque faço, quero porque quero
Nem sempre tenho um motivo, e nem sempre quero falar o motivo
Não lido bem com obrigações
Sempre quero que sintam minha falta
Sempre acho que quase ninguém sente
Já escrevi "derrepente" (mesmo sendo uma das melhores alunas de português e redação)
Meus professores de matemática me ajudaram a passar no ensino médio
Sempre tento justificar meus erros
Só perdôo facilmente quem eu gosto
Canto no chuveiro
Danço sozinha, e sem música
Tem dias que não sinto fome
Tem horas que como só por comer
Tenho medo de dirigir
Nunca vou ao banco
Não sei lidar bem com minhas finanças
Tenho uma conta aberta mas uso o cartão da minha mãe
Ter que perguntar qualquer coisa me assusta
Fico com a boca seca e enjoo quando fico nervosa/ansiosa
Odeio depender dos outros
Odeio telefones (não ligo nem pra farmácia)
Tenho medo/vergonha de errar
Quando erro fico repassando o erro e a vergonha de ter errado dias, talvez anos...
Odeio dar parabéns por telefone e pessoalmente, me sinto meio idiota
Não me acho bonita mas gosto de ser elogiada
Tenho medo de mudar
Prefiro pizza de 4 queijos da Sadia, a de qualquer pizzaria
As vezes imagino a trilha sonora de alguma situação
A música me ajuda a escrever
O caos sempre me inspira mais do que a calmaria
Ultimamente quase nada me inspira
Sou completamente desorientada e estabanada, eu bato em tudo que está no meu caminho.
Escuto a mesma música até enjoar, e demora.
Sou carente, e só estou aqui listando todos os defeitos e/ou curiosidades bizarras que posso lembrar, para que toda e qualquer pessoa que queira me amar, saiba tudo que vem junto...

(e pra eu mesma não esquecer de todos eles, de tudo que faz parte do que eu sou).

09/06/2013

Do vazio de hoje.

"O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo."
- Mário Quintana

22/05/2013

SUFOCANDO

Como o tempo me deixou mais burra e covarde. Eu vejo meu discurso de dois anos atrás e sinto como se eu pudesse me dar uma bronca, por tudo que não consigo fazer com a minha vida. Cadê eu? Em que momento eu me perdi de querer acreditar em alguma coisa? Em que momento eu passei a pensar tanto assim? Quem disse que isso era bom? O que esta acontecendo???? Hoje o dia foi de doer, de rolar na cama enquanto a noite chega, tentando dormir e parar de tremer. Sim, tremer, me peguei em meio a uma crise monstruosa de ansiedade, literalmente sufocando.